Conheça 6 tipos de orgasmos femininos e como aumentar ainda mais seu prazer

7 minutos para ler

Quem nunca teve curiosidade sobre os tipos de orgasmos femininos, não é mesmo? Hoje em dia falamos muito sobre a dificuldade que algumas mulheres têm em atingir o ápice durante uma relação sexual, seja sozinha ou acompanhada. O fato é que o conhecimento sobre as diferentes formas de sentir prazer é fundamental para realmente experimentá-lo.

Você quer um motivo? Vamos lá: descobrir como funciona a anatomia do seu corpo e identificar as zonas que naturalmente causam prazer potencializa o seu autoconhecimento!

Por isso, preparei este conteúdo especial explicando os diferentes tipos de orgasmos femininos e como alcançá-los para você sentir muito prazer e se entregar a esse universo delicioso. Continue lendo para saber mais!

1. Orgasmo vaginal

Começo com um dos orgasmos mais conhecidos: o vaginal. Como o próprio nome já diz, ele é originado pelo contato do pênis, dedos ou brinquedos sexuais na parede da vagina. Ele acontece em função da textura rugosa que ela apresenta, garantindo diferentes sensações quando estimulada em diversas regiões.

No entanto, existe um grande tabu ao redor dessa experiência: muitas pessoas acreditam que esse orgasmo não existe ou, ainda, só pode ser atingido quando ocorre outra estimulação. Ainda que não existam pesquisas científicas profundas sobre isso, a experiência empírica de diversas mulheres indica que ele é possível sim, e não demanda outros contatos para acontecer. Por outro lado, pode ser mais demorado.

Então, qual é a melhor forma de alcançá-lo? Além de testar novas posições sexuais, você pode utilizar brinquedos eróticos, como capas penianas, géis sensíveis e brincar com a velocidade da penetração.

Além disso, é possível minimizar algum sentido corporal para aumentar o prazer no toque. Por exemplo: por que não utilizar uma venda durante uma noite picante? O simples fato de não poder enxergar o que está acontecendo aguça o seu sentido e permite uma experiência intensa de prazer, facilitando a chegada do orgasmo vaginal.

2. Orgasmo clitoriano

O orgasmo clitoriano também é um dos mais conhecidos, já que é o mais comum entre as mulheres. Essa pequena região fica localizada na parte superior da vulva, logo abaixo do bulbo clitoriano e entre os pequenos lábios. Por ser repleto de terminações nervosas e apresentar um alto fluxo de circulação sanguínea, quando estimulado, o clitóris fica mais inchado e sensível.

É por isso que muitas mulheres sentem mais facilidade em experimentar esse tipo de orgasmo do que o vaginal, já que ele apresenta mais facilidade de estimulação. E mais: existem diversas formas de atingi-lo, tanto pelo toque em outras regiões quanto pelo uso de brinquedos e acessórios que aumentam o prazer.

Aqui, brincar com a velocidade também é interessante, seja por meio do toque ou pela estimulação oral. Experimente, por exemplo, utilizar um cosmético que aumenta a sensitividade da região e fazer um leve carinho nas coxas, aproximando cada vez mais a mão do clitórios. Aos poucos, faça movimentos circulares de baixo para cima e sinta como o seu corpo reage com a mudança de velocidade.

3. Orgasmo anal

Já que estou falando sobre tabu, não poderia deixar de fora o orgasmo anal, né? Ter relações sexuais nessa área do corpo exige um cuidado a mais, pois o ânus precisa de um tratamento especial para que o orgasmo seja realmente alcançado sem colocar em risco a sua saúde.

Se você ainda não experimento esse tipo de prazer, mas tem o desejo de conferir, existem algumas técnicas que podem ajudar. Acompanhe:

  • tenha paciência durante a relação, sobretudo se ela acontecer acompanhada. Ambos precisam estar cientes de que essa é uma região mais sensível;
  • não tenha medo de utilizar brinquedos e muito lubrificante! O plug anal, por exemplo, é excelente para quem nunca teve essa experiência e deseja começar a praticá-la;
  • busque uma posição confortável para ter a relação — ficar de ladinho pode ser uma das melhores formas para quem está começando;
  • brinque com outros estímulos, como o clitoriano. Aqui, você pode utilizar tanto as mãos como um vibrador;
  • tenha calma! Ainda que movimentos mais rápidos possam causar mais prazer, o mais indicado é ter uma penetração menos intensa para que, aos poucos, o corpo se acostume e permita brincar com a velocidade;
  • respeite os seus limites acima de tudo. Se em algum momento o sexo for desconfortável, não tenha medo de parar e buscar outras alternativas, combinado?

4. Ponto G

O ponto G representa uma região vaginal que concentra diversas terminações nervosas ligadas ao clitóris. Ou seja: é um campo fértil para o clímax intenso e muito prazeroso.

No entanto, diferentemente do clitóris, encontrá-lo pode ser um desafio para algumas pessoas em função das diferenças anatômicas do corpo feminino. Isso porque ele está escondido acima do osso púbico e fica à mostra quando o corpo recebe diversos estímulos e a vagina fica bem lubrificada.

Portanto, a estratégia para sentir esse tipo de prazer não é muito complexa: primeiro, é fundamental estimular outras áreas do corpo, como os seios, o clitóris e as zonas erógenas. Isso faz com que o ponto G tenha mais circulação e fique mais inchado e sensível. Em seguida, utilizando os dedos ou um vibrador, você pode fazer movimentos suaves de gancho a fim de tocá-lo.

5. Ponto U

Você sabia que é possível ter um orgasmo na região da uretra? Pois é! Como a vulva é uma área repleta de terminações nervosas, todos os seus pontos oferecem diferentes sensações e possibilitam a experiência de um novo tipo de prazer. A uretra, por estar localizada entre o clitóris e a entrada da vagina, oferece uma sensação intensa durante o sexo.

A dica aqui é estimulá-la em conjunto com o clitóris, podendo ser no sexo oral ou mesmo com os dedos. Assim, é possível experimentar o orgasmo múltiplo e até vivenciar a ejaculação feminina, que acontece quando as glândulas de skene liberam uma secreção pelo canal da uretra. 

6. Orgasmo mamário

Você sabe qual é o órgão mais sensível do corpo? Eu respondo: a pele! Muitas pessoas acreditam que a área genital é a grande responsável pelos momentos de prazer, mas acabam esquecendo que o simples toque pele a pele pode promover sensações inimagináveis. É por isso que existem tantas zonas erógenas.

A partir dessa visão, não é difícil compreender que muitas mulheres sentem orgasmos intensos somente com a estimulação dos seios. Vale lembrar, é claro, que a facilidade de alcançá-lo depende da sensibilidade que você tem nessa região, visto que a anatomia mamária varia de corpo para corpo.

Para garantir que essa experiência acontecerá, você pode investir em géis estimulantes e na privação de sentidos. Isso potencializa as sensações e facilita a chegada do clímax, além de oferecer uma nova experiência para você e permitir o descobrimento do seu próprio corpo.

Você sabia que existiam tantos tipos de orgasmos femininos? Para alcançá-los é fundamental estar confortável e consciente da relação estabelecida, sentindo-se bem com as diferentes estimulações e aberta para vivenciar essas novas experiências. Por isso, não tenha medo de conhecer o seu próprio corpo para entender o que realmente funciona para você e sempre ter uma transa gostosa e intensa.

E aí, curtiu o nosso artigo? Então, descubra quais são os melhores brinquedos eróticos para o sexo a dois e tenha experiências ainda mais prazerosas!

Posts relacionados

Deixe um comentário